Você sabia que a saúde bucal interfere na prática de esportes?

Segundo Dagmar de Paula Queluz, coordenadora de Odontologia da Faculdade de Odontologia de Piracicaba (UNICAMP), o rendimento de um atleta pode diminuir em até 21% por causa de problemas relacionados aos dentes.

Entre esses problemas estão a má-oclusão dental e as infecções (gengivite e canais não tratados). Ambos podem provocar problemas de mastigação, dificultando o aproveitamento da energia dos alimentos, fundamental para a vida dos atletas. Essas infecções, se não tratadas, podem levar bactérias pela corrente sanguínea até algumas partes do corpo do atleta, causando mais que um simples desconforto.  Além disso, o simples fato de o esportista não cumprir com os cuidados básicos para uma boa higienização bucal, pode prejudicar dias de treinamento.

A parceria entre dentista e atleta permite a prevenção e o tratamento eficaz de problemas bucais, de traumas típicos de esportes de contato e, principalmente, evita que infecções ganhem proporções grandes e acabem prejudicando a saúde e o desempenho dos atletas. Manter a saúde bucal em dia com uma escovação frequente, o uso do fio dental e de raspadores linguais, ajudam a manter o corpo saudável e melhoram a integridade física, mental e sensorial de qualquer pessoa.

Saiba o que fazer caso seu filho quebre o dente

Traumas dentais infantis são muito comuns na infância. É nessa fase que a criança está aprendendo a andar e está cheia de curiosidade para explorar novos mundos e ambientes. Mas também é nessa fase que sua inquietação e falta de coordenação motora está em alta, o que pode acabar na fratura de um dente. Mas então, o que fazer se seu filho cair e quebrar um dente?

Existem alguns socorros rápidos que os pais podem fazer em casa. Se ao avaliar a boquinha da criança e perceberem que só há sangue, mas nenhum dente quebrado ou lascado, recomenda-se lavar bem o local e pressionar o sangramento com uma gaze umedecida. Colocar um pouco de gelo ou oferecer um picolé para a criança também podem ajudar a aliviar a dor e a não inchar.

Agora, se o sangramento não parar logo, houver suspeita de mobilidade dental, risco de aspirar o dente ou muita dor, os pais não devem hesitar em procurar um profissional. O dentista saberá avaliar a extensão do trauma, que pode ser só do dente como também do tecido subjacente (osso, gengiva, lábios, freios labiais).

Saiba se o riso é contagiante!

Você já riu de alguma coisa sem motivo, só porque viu alguém rindo também? Todos nós já passamos pela situação de um riso contagiante. Se isso era apenas um senso comum, após um estudo feito na Inglaterra, o lema “sorria e o mundo inteiro vai sorrir com você” parece ser mais verdadeiro do que nunca.

Os cientistas descobriram que tudo isso ocorre devido à ação dos chamados “neurônios-espelho”. Essas células cerebrais são de importância fundamental na imitação e aquisição da linguagem. Alguns cientistas acreditam que isso possa ser um artifício natural que ajuda na integração social do indivíduo. Também podemos comprovar esse mecanismo em outras situações, como no caso de uma pessoa bocejar após ver outra bocejando. Por isso, pratique mais o sorriso e contagie todos ao seu redor!

Conheça os erros que mais comprometem a higiene bucal

A higiene bucal é um procedimento rotineiro aparentemente simples, mas que precisa receber uma atenção especial. Os mitos sobre a escovação correta vão desde a frequência com que devemos limpar os dentes até qual a escova mais adequada. A falta de informação, muitas vezes leva as pessoas a cometerem deslizes que, por mais insignificantes que possam parecer, acabam por comprometer a saúde da boca. Por exemplo, poucas pessoas sabem que escovar os dentes imediatamente após as refeições é um erro. O correto seria esperar no mínimo 30 minutos para realizar a limpeza bucal, para que a saliva possa agir e neutralizar o pH dos alimentos e bebidas. Veja alguns erros cometidos na hora da higiene oral:

Mais força do que o necessário: O que realmente importa no momento da escovação não é a força, e sim a execução de uma técnica correta e a utilização de uma escova de qualidade e em bom estado de conservação.

Escovas desgastadas: O ideal é que a escova dental seja trocada, no máximo, a cada dois meses.

Frequência excessiva: O hábito de escovar os dentes é fundamental, mas pode se transformar em um fator prejudicial se for realizado de forma abusiva. Nesse caso, o importante é a qualidade e não a quantidade. Uma higiene bucal bem feita leva cerca de dez minutos.

Pasta de dentes abrasiva: O creme dental abrasivo – aquele que faz muita espuma durante a escovação – deve ser evitado. Assim como as escovas com cerdas mais duras, esse tipo de pasta provoca a hipersensibilidade dental e, com o tempo, a necessidade de se usar cremes dentais especiais.

Por que o gosto da comida é ruim depois de escovar os dentes?

Com certeza você já comeu alguma coisa logo depois de escovar os dentes e percebeu que o gosto do alimento ficou estranho, não é? Isso acontece porque existe um detergente nas pastas de dentes, o Lauril Sulfato de Sódio (LSS),  que inibe as papilas gustativas temporariamente, fazendo com que a gente fique, ao comer algum alimento, com a sensação de sabor incompleto, principalmente quando comemos algo doce.

O que fazer? Simples. Após escovar os dentes, espere 30 minutos para comer qualquer alimento. Além de preservar mais a sua escovação, depois desse período você conseguirá sentir novamente o gosto dos alimentos sem nenhum tipo de alteração. Isso porque os receptores gustativos da língua se renovam o tempo todo, ou seja, depois de um tempo eles não estarão mais “afetados” pelos detergentes das pastas.

Prefira sempre os energéticos naturais

Existem vários alimentos que são considerados verdadeiros energéticos naturais e podem ser uma boa pedida para começar bem o dia sem prejudicar os dentes. Os energéticos industrializados e as bebidas isotônicas não são grandes amigos da saúde bucal, por serem extremamente ácidos. Já os naturais, são mais benéficos, pois possuem menor pigmentação e acidez. Veja abaixo:

Coco – Ajuda a manter a saúde bucal em dia, uma vez que sua água ajuda a hidratar a boca e a manter o fluxo salivar dentro dos padrões, além de combater algumas bactérias da flora bucal que podem causar a cárie.

Banana – Contém frutose, glicose e amido, substâncias fornecedoras de energia. Segundo estudos, pacientes que costumam consumir bastante banana estão menos sujeitos a contrair câncer de boca.

Folhas verdes escuras – são fontes de vitaminas e minerais, e contribuem para o aumento da disposição e energia. Exemplo de energético antes de sair de casa? Um bom suco detox de rúcula, espinafre, couve, agrião ou endívia.

Morango – Estimula o sistema imunológico e revitaliza o corpo e a mente. A combinação de agentes antioxidantes e anti-inflamatórios encontrados no morango também colabora no combate ao aparecimento de muitas formas diferentes de câncer, inclusive o de boca e garganta.

A diminuição de açúcar está associada à redução de cáries

A Organização Mundial da Saúde recomendou em suas últimas diretrizes uma redução na ingestão de açúcar. De acordo com o órgão, para combater efetivamente o surgimento de cárie, é importante restringir a quantidade ingerida de açúcar a 3%, o que equivale a mais ou menos 10% de todas as calorias diárias de uma pessoa.

A recomendação abrange todos os tipos de açúcar (sacarose, glicose e frutose) vindos de alimentos como o açúcar de mesa, mel, sucos e polpa de frutas ou adicionados a produtos industrializados.

O objetivo das diretrizes é, além de incentivar as pessoas a diminuir a ingestão exagerada do alimento, pressionar a indústria alimentícia para que novas regras sejam estabelecidas com relação à adição de açúcar e a composição dos alimentos, garantindo que as campanhas defendam os interesses da população.

Fonte: ABO

Hábitos aparentemente inofensivos podem prejudicar os dentes

Um hábito aparentemente inofensivo como roer as unhas pode causar problemas muito mais graves do que se pode imaginar, desde gripes a problemas bucais. A pressão exercida por esse ato, por exemplo, pode resultar em retração da gengiva, encurtamento da raiz e até mesmo mudança na posição de um dente.

Além disso, ocorre um transporte de bactérias e/ou de vírus presentes nas mãos e embaixo da superfície da unha até a boca, aumentando a possibilidade de infecções. Esses micro-organismos podem causar problemas respiratórios e gastrointestinais, como diarreia e gripes. Por isso, é importante evitar essa prática e cuidar mais da sua saúde bucal!

Incentive o seu bebê a sorrir

Sorrir e dar gargalhadas são as primeiras ferramentas de comunicação das crianças com o mundo ao seu redor e revela o desenvolvimento cerebral. Piscar com o barulho, buscar o som, reconhecer o rosto, sorrir, depois rir e emitir sons são passos que mostram claramente o cérebro em desenvolvimento, diz a especialista Daniella Freixo de Faria.

Um fato comprovado é que sorrir faz bem a saúde. A cada sorriso, o cérebro é induzido a produzir e liberar mais endorfina, o neurotransmissor relacionado às sensações de prazer e bem-estar, além de ser um potente analgésico natural.

Por isso, incentivar as crianças a rirem desde cedo é se preocupar com o bem-estar do seu filho, além de evoluir a comunicação entre pais e filhos. Os pais devem fazer brincadeiras simples que emitam sons e gestos divertidos, cantar músicas, brincar com o pé do bebê, etc. E o que era apenas um sorriso, se transforma em uma risada com som e depois em uma bela gargalhada.

Dentes brancos e hálito fresco? Mude a dieta

Para uma boa saúde bucal é necessário, não só manter os cuidados orais em dia, mas também manter uma dieta equilibrada, com alimentos que contribuam para o desenvolvimento saudável dos dentes. Para começar, um sorriso bonito pede muito consumo de água (pelo menos 2 litros por dia). “Além de combater à cárie, a água ajuda eliminar detritos, açúcares e ácidos da boca”, diz Alessandra de Lima Rocha, cirurgiã-dentista do Instituto Israelita de Responsabilidade Social Albert Einstein.

Para manter os dentes fortes são indicados alimentos ricos em vitamina D (salmão, leite e derivados, gema, cereais integrais, soja e vegetais verdes escuros), A (couve e vegetais amarelos), fósforo (leguminosas e carnes) e magnésio (beterraba, espinafre e banana).

Para uma gengiva saudável, os alimentos fontes de vitamina C não podem ser deixados de lado: frutas como goiaba, acerola e caju, legumes e vegetais folhosos crus.

Para manter os dentes brancos é necessário ingerir alimentos como maçã, cenoura, pêra, pepino, rabanete, aipo e salsão. “Eles auxiliam na limpeza dental e dão a impressão de que estão mais limpos e claros”, diz a especialista.

Fonte: Terra